Acompanhe por aqui relatos e experiências registrados durante a produção da exposição.

Guestpost Daniel Becker | Pediatria Integral

Guestpost do pediatra Daniel Becker, criador do “Pediatria Integral”, sobre a Exposição Sentidos do Nascer


Este texto é dirigido especialmente para leitoras/famílias grávidas, ou que estão planejando engravidar.

A exposição Sentidos do Nascer era imperdível. Hoje foi o ultimo dia. A próxima cidade é Niterói, e para os cariocas, vale a travessia da ponte.

Ela ajuda a entender mais profundamente porque o parto normal foi “marginalizado” no Brasil, porque seus riscos tem a ver justamente com a sua medicalização. No hospital, muitas vezes a mulher é forçada a se deitar, a tomar ocitocina, é deixada sem acompanhante, o parto é apressado… tudo isso aumenta os riscos de asfixia do bebê. O parto natural, “humanizado” – ou bem feito, simplesmente – é bem mais seguro que a cesariana. Isso não é questão de opinião: são fatos científicos, de nível de evidência “A”, ou seja, comprovado cientificamente. A cesárea marcada é criminosa contra a mãe e o bebê e implica em riscos sérios para ambos. Dor, infecções, hemorragias, prematuridade, imaturidade respiratória, dificuldades na amamentação, e a longo prazo, alergias, obesidade e hipertensão. Pois é.

Escrevo isso sabendo que a grande maioria de minha leitoras aqui tiveram parto cesáreo, e muitas estão convencidas de que é “melhor”, “mais seguro”, ou uma “questão de escolha”. Pois eu sinto muito, vocês foram enganadas. A cultura da cesárea marcada, criada por conveniência e lucros de médicos e hospitais. é muito poderosa e tem argumentos convincentes – mas mentirosos. A maioria deles baseada no medo. É tão poderosa que convenceu gerações de mulheres a acreditar que o parto normal é perigoso, assim como a Nestlé e suas concorrentes fizeram nossas mães e avós acreditar que o leite materno não era bom para seus filhos e filhas. As duas falácias tem algo em comum: a indústria (alimentícia e médico-hospitalar) querendo substituir a natureza, e portanto obter lucros milionários – às custas da saúde de mães e bebês.

Portanto, famílias grávidas: leiam, informe-se, pesquisem, e procurem fazer parte dos felizes 10% que tem parto normal no setor privado, ou 40% no setor público.

Nos links, dois videos que fazem parte da exposição, que além de informar, faz rir e chorar. No primeiro uma metáfora perfeita da apropriação pela medicina de um ato natural, que pertence ao corpo da mulher – do homem, no caso – tranformando-o num ato artificial, quase impossível, e que portanto só pode ser realizado pelo “outro”. No segundo, não há palavras para descrever a beleza de um parto na água, sob cromoterapia, numa banheira onde um menino de três anos “ajuda” a mãe a parir sua irmã, com uma linda coreografia.

Saiba mais sobre o pediatra Daniel Becker e conheça seu site “Pediatria Integral”: página do Facebook e site.

Compartilhar no Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.